O amor melhor de todos

♪ Clique aqui para ouvir Oceans enquanto lê este texto. (Sério, dá o play!)

Antes de você chegar na minha vida eu me contentava com migalhas de amor, e qualquer homem que sorrisse pra mim com meia dúzia de palavras bonitas levava o meu coração. Eu não entendia o que era amor de verdade, e bem no fundo eu também não sabia amar. Mas você me amou primeiro, mesmo nos dias em que eu não merecia.

Antes de você chegar eu era ansiosa e visitava constantemente o psiquiatra. Por muitas vezes pensei em desistir de viver, por não entender qual era o sentido da vida, nem o motivo que me “obrigava” a continuar vivendo. Sabe quando você se sente sozinho em meio a uma multidão? Antes de você chegar eu me sentia assim, mas agora que você chegou mesmo sozinha eu sei que tenho alguém ao meu lado.

Antes de você chegar eu tinha dificuldade em perdoar, em pedir perdão e a reconhecer um erro, mas você me perdoou primeiro e eu me dei conta de que eu não poderia ficar agindo da mesma forma. Eu já não era mais a mesma, você havia entrado na minha vida e transformado tudo à minha volta. Eu me olhava no espelho e me via mais bonita, mais alegre e mais confiante, eu achava que era a cabeleireira, a academia ou as roupas novas, mas era você.

Você chegou para mostrar que eu sou única e que a minha missão é facilitar a vida de outras pessoas. Você me ensinou a nunca aceitar menos do que mereço e não desistir dos meus sonhos, até porque você os sonha antes por mim. Eu sempre achei que um homem mudaria a minha vida, e não é que eu estava certa? Só não achava que ele teria vivido 2.000 anos antes de eu nascer, tivesse transformado água em vinho, e morrido por mim numa Cruz.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” 2 Coríntios 5:17

Vamos conversar?
Curta a página do Blog aqui.  Insta: @na.silveira
Venha acompanhar as Celebrações da ICP aqui

Natália Silveira

Designer, curitibana, criativa, curiosa, sonhadora, inquieta e tem a risada mais escandalosa que já se ouviu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *